dicas, notícias, saúde

Outubro Rosa – Câncer de mama

No mês de outubro foi criada a campanha de conscientização do câncer de mama para mulheres. Infelizmente essa doença também acomete as fêmeas de cadelas e gatas.

O câncer é uma doença que costuma causa pânico nos proprietários por ser sinônimo de morte para os cães, mas desde que diagnosticado precocemente, pode ser tratado e curado. Por isso é muito importante ficar atento aos sinais que indicam o surgimento de um tumor e acompanhar periodicamente a saúde dos animais de estimação, com idas frequentes ao veterinário.

A maior incidência é em fêmeas acima dos sete anos de idade. É muito semelhante ao que acontece na mulher, que tem como o principal fator de desenvolvimento o uso de alguns anticoncepcionais, dieta imprópria, obesidade e a pseudociese, que é popularmente conhecida como gravidez psicológica.

O câncer de mama, ao contrário do que muitos pensam, não afeta apenas as fêmeas, podendo acometer machos em alguns casos.

 

Como identificar o câncer de mama

As primeiras mudanças que podem ser observadas nos animais são as comportamentais, como tristeza, falta de apetite, febres e vômitos.

Na maioria dos casos o tumor é maligno (50% dos casos), muitas vezes os sinais podem se desenvolver de forma silenciosa, não causando alterações físicas ou comportamentais latentes e imediatas.

Os sinais nem sempre aparecem no início da doença. Alguns deles são detectáveis somente em um estágio avançado do câncer:

  • Caroços na região das mamas do animal
  • Inchaço ou dilatação na área mamária da cadela
  • Dores na região das mamas
  • Presença de secreções nas mamas com odor desagradável
  • Perda de peso e apetite, feridas que não cicatrizam, febre e vômito

Os tumores podem ser identificados como uma massa sólida ou como a presença de pequenos inchaços múltiplos, que podem dobrar de volume em apenas um mês (ao contrário dos tumores benignos, que apresentam desenvolvimento lento).

Como é diagnosticado e seu tratamento

O diagnóstico do câncer é feito principalmente por exames clínicos da região mamária e exames de citologia aspirativa do nódulo.

Após a análise dos resultados, é o veterinário quem irá pedir uma série de exames, para se certificar qual será o tratamento adequado e em qual estágio a doença se encontra. Sendo possível descobrir se existe a presença de metástases do câncer, que são responsáveis pela propagação do tumor para outras partes do corpo além das mamas.

Com o diagnóstico de câncer de mama definido, vem a parte do tratamento, a primeira opção é a cirurgia para a retirada completa do tumor.

A operação cirúrgica geralmente já é o suficiente para o caso de cânceres benignos, mas se forem malignos é necessário a realização de uma quimioterapia e um intenso cuidado de prevenção contra a reincidência e a metástase após a operação.

Infelizmente, quando a metástase ocorre as chances de cura são mínimas, e a opção é fazer o tratamento dos sinais clínicos para da qualidade de vida.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir é a castração antes do primeiro cio, que reduz as chances do desenvolvimento de um câncer de mama em 95%, por diminuir drasticamente as alterações hormonais que ocorrem durante o ciclo menstrual.

É contra indicado o  uso de anticoncepcionais, pois o descontrole do estrógeno e da progesterona (hormônios relacionados à sexualidade, prenhez e amamentação) é a principal causa deste tipo de tumor.

download (1)

download

Imagens: anda.jor.br/olhardovale/castracaosolidaria

 

 

histórias, notícias

No RS, posto de gasolina “contrata” três cães de rua que viviam no local

Novos funcionários do posto

A nova proprietária manteve os animais no local e ainda deu a eles um “crachá” de funcionário. Os cães também ganharam uma casinha cada e recebem ração e água todos os dias.

Pelo o que podemos ver no vídeo publicado na página do Posto Roda, Mano, Trakinas e Marmaduke se dão super bem com os funcionários do posto e também com os clientes que param lá para abastecer seu carro.

 

 

Fonte: Redação RPA
Fotos: Pati Nobre
adoção

Feira de adoção – Cão sem dono

A ONG Cão Sem Dono, atualmente com mais de 400 animais em seu abrigo na cidade de Itapecerica da Serra, zona Sudoeste da Grande São Paulo, alterou os horários das feiras de adoção nesta sexta-feira (6), para atender a todos as feiras serão das 14h às 20h, nas lojas Petz Bandeirantes e Cobasi do Morumbi.

Para atender a todos as feiras serão das 14h às 20h, nas lojas Petz Bandeirantes e Cobasi do Morumbi.

Para adotar é preciso maior idade (21 anos), comprovante de residência e documento com foto. O interessado em adotar irá passar por uma entrevista, sendo aprovado irá preencher um termo de responsabilidade, lembrando que o tempo de adaptação é de 15 à 45 dias e que não há taxa de adoção.

Vale ressaltar que nas feiras de adoção há um cesto para arrecadar ração.

Serviços:

LOJA COBASI
Av. Giovanni Gronchi, 5411, Morumbi, SP

LOJA PETZ
Av. dos Bandeirantes, 2040, Vila Olímpia, SP

 

via ONG Cão Sem Dono altera horário de feira de adoção; confira — Blog Cão Sem Dono

histórias

Conheça a história de São Francisco de Assis 

São Francisco de Assis nasceu no dia 5 de julho de 1182, na cidade de Assis (Itália, com o nome de Giovanni di Pietro di Bernardone. Era filho de um comerciante ilaliano de nome Pietro di Bernardone dei Moriconi e de sua esposa Pica Bourlemont, e tinha origens francesas. A família fazia parte da rica burguesia de Assis, e tinha prestígio no nome e nas posses financeiras. Era chamado pela família de “Francesco” nome cuja origem ainda hoje não foi determinada.

Francisco cresceu e se tornou popular entre seus amigos devido à sua vida rebelde, às extravagâncias, bebedeiras, pela suas roupas caras, por esbanjar dinheiro e ter paixão por aventuras. Tinha o desejo de ser “herói” e por isso alistou-se, em 1202 como soldado na guerra de Assis contra a Peruggia. Foi capturado e passou cerca de um ano preso, à espera de ser resgatado.

Recebeu seu chamado em Assis, durante uma farra com os amigos, onde foi tocado por Deus e desde então começou a perder o interesse pelas farras, dinheiro, riquezas, posses, etc, passando a se preocupar com os mais necessitados e em fazer a vontade de Deus, servindo-o através da doação total e incondicional da sua vida.

Viveu uma conversão brusca em sua juventude, passando de jovem rebelde e mundano, a uma vida religiosa de completa pobreza. Abandonou sua família e sua antiga vida e foi viver em cabanas e abrigos no meio do mato, juntamente com um amigo que chamava de “irmão Leão”. Sua decisão e vivacidade atraiu a outros adeptos, fazendo com que ele fundasse mais tarde a Ordem dos Frades Menores, hoje conhecidos como Franciscanos.

Juntamente com seus “filhos”, Francisco renovou a vivência do catolicismo na época, conservando o hábito de viajar a pé pelas localidades, pregando e vivendo completamente das doações que recebiam. Segundo São Francisco, o evangelho deveria ser seguido à risca, com todo rigor, imitando a vida de Jesus. Desenvolveu latentemente o dom da caridade, pregando o amor à Criação de Deus, à natureza, aos animais, e sobretudo ao ser humano, e vivendo a total doação a estes, e valorizando especialmente os mais pobres. Chamava a todas as criaturas de Deus de irmãos, e se considerava a menor delas. Até hoje é um dos santos da Igreja mais devotados, santidade esta que foi firmada desde que ainda estava em vida, sendo conhecido por muitas pessoas e chamado de santo ainda em vida.

Faleceu em 1226, no dia 3 de outubro, e foi canonizado em 1228, menos de dois anos depois. É conhecido como o protetor dos pobres e doentes e também patrono dos animais e da natureza.

Fonte: infoescola

 

http://t.dynad.net/script/?dc=5550003308;ord=1507109073627;srctype=ifrm;;click=Francisco cresceu e se tornou popular entre seus amigos devido à sua vida rebelde, às extravagâncias, bebedeiras, pela suas roupas caras, por esbanjar dinheiro e ter paixão por aventuras. Tinha o desejo de ser “herói” e por isso alistou-se, em 1202 como soldado na guerra de Assis contra a Peruggia. Foi capturado e passou cerca de um ano preso, à espera de ser resgatado.

histórias, notícias

Cachorro sai da depressão com a ajuda de um pato

Ele perdeu seu melhor amigo e nada o fazia se sentir melhor, até o patinho aparecer.

George tinha um amigo, um cachorro da raça Labrador chamado Blackie, de 12 anos de idade. Infelizmente ele faleceu e desde então George não tem mais ânimo para nada. Seus tutores afirmaram que fazem dois anos que está depressivo e que não passa um único dia sem chorar.

george-e-pato-1

Um belo dia, bem próximo ao aniversário de morte de Blackie, um pato apareceu na residência misteriosamente. George não o espantou, nem o atacou, assim o patinho foi se aconchegando cada vez mais, fazia companhia onde o cachorro ia. Como ele passa grande parte do dia deitado o pato começou a se deitar do seu lado, consolando sua tristeza.

george-e-pato-2

Os tutores de George afirmam que não se sabe de onde apareceu esse pato, mas que ele tem feito muito bem ao cão. Desde que ele passou a fazer companhia à ele, nunca mais chorou. Os dois se tornaram inseparáveis, e ninguém tem coragem de se desfazer do pato, pois ele tem sido a salvação de George.

george-e-pato-3

Todos acreditam que o cachorro já esteja saindo da depressão, pois tem apresentando melhoras significativas desde a chegada do animal. É possível ver os dois caminhando juntos, e antes nem isso George fazia. Muitos não acreditam que animais tem sentimentos e que um pode apoiar o outro. A depressão de George devido ao luto é real, e estava afetando sua vida diária.

Os tutores de George estão muito felizes com a chegada do patinho, pois ele tem sido o antidepressivo natural do cachorro, depois de muitas tentativas de elaborar o luto pela perda de seu companheiro. Esse, com certeza, está sendo o começo de uma grande amizade.

Fonte: caesonline
doação

Projeto Cel: ração para nossos animais!

Abandono, negligência e maus tratos é uma realidade crescente no Brasil quando o assunto é animais domésticos.

 No Projeto Cel resgatamos e abrigamos animais em situações de risco até encontrarem um novo lar.

Contudo, alimentá-los está sendo uma tarefa cada dia mais difícil. Por isso, criamos este kickante para comprar ração para nossos amados bichinhos. Faça sua parte, nossos amiguinhos de patas precisam muito da sua colaboração.

 Clique no link abaixo e contribua!!!

https://www.kickante.com.br/campanhas/projeto-cel-racao-para-nossos-animais

 A ONG PROJETO CEL nasceu com o objetivo de dar  assessoria aos animais de rua e da população  carente e de baixa renda, principalmente da Zona  Leste, castrá-los e fornecer atendimento veterinário a  preços acessíveis por intermédio da sua clínica, mas devida a falta de condições financeiras para manter a clinica, nossa clinica fechou e hoje todo o atendimento de nossos resgatados, é feita em clinicas particulares. Porém, hoje a principal atividade do Projeto CEL é  resgatar animais abandonados e maltratados e  prepara-los para as feiras de adoção realizadas todos  os finais de semana. Com muito custo, o Projeto CEL mantém cerca de 300 animais que aguardam a oportunidade de ser adotados. Alguns são mantidos em hotéis particulares, outros em lares transitórios, na sede da ONG, mas a maioria permanece em dois sítios, um alugado na cidade de Paraibuna e outro emprestado, na cidade de Jarinu, ambas no Estado de São Paulo. Animais idosos ou com sequelas de doenças ou acidentes dificilmente são adotados, sendo que muitos acabam por morar no Projeto CEL por toda a vida.

dicas, notícias, saúde

Convivência com gatos na infância reduz risco de asma

Grande levantamento mostra que a exposição a substâncias liberadas por esses bichinhos protege contra a doença

Cientistas acabaram de trazer novos argumentos para se defender a convivência entre bichos e crianças . Em extenso estudo feito pelos Institutos Nacionais de Saúde, nos Estados Unidos, foi avaliada a influência de certos alérgenos na saúde respiratória de 560 crianças. A conclusão principal? Estar exposto, desde bebê, a certas substâncias que os gatos soltam deixaria as crianças mais resistentes à asma por volta dos 7 anos de idade. Os estudiosos notaram uma associação similar em relação aos cachorros, mas os resultados não foram considerados estatisticamente significativos.

A descoberta vai contra crenças antigas de que, ao reduzir o contato com alérgenos dentro do ambiente doméstico, acabamos afastando a doença. E olha que todos os participantes do estudo possuíam grande tendência a desenvolver a condição, já que pelo menos um dois pais tinha alergia ou asma. Além disso, as crianças cresceram em áreas extremamente urbanizadas (e, portanto,poluídas) dos Estados Unidos, como Baltimore, Boston e Nova York.

O relatório ainda confirmou dados que já apareciam em outros trabalhos. Por exemplo: a influência de alguns hábitos e problemas de saúde da mãe no bem-estar respiratório de seus filhos. É o caso do tabagismo durante a gestação e de depressão e estresse durante os três primeiros anos de vida dos pequenos – tudo isso aumentou o risco de as crianças apresentarem asma.

gato05

Fonte: Revista superinteressante

Foto: Vivienstock/iStock