amor, histórias, notícias

Soldado homenageia cão-bombeiro Barney com tatuagem: ‘Quando coração transborda, transparece na pele’

O labrador Barney, do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, pulou no Rio Urussanga em Içara, no Sul do estado, durante buscas por uma pessoa desaparecida. Após mergulhar, ele não retornou mais à superfície. O acidente ocorreu em 2 de maio. O cachorro atuava em situações de buscas e foi levado a Brumadinho (MG) para ajudar a encontrar vítimas.

“Quando o coração transborda, ele transparece na pele. Primeira sessão em homenagem ao meu parceiro, definitivamente marcado para sempre em minha vida. Meu Barney!”, escreve Rangel ao publicar a imagem em uma rede social.

O cachorro estava no batalhão em Lages, mas atuava em salvamentos em vários pontos do estado. No dia do acidente fatal, segundo os bombeiros, ele teria mergulhado para apontar o local onde estaria a vítima desparecida, mas não retornou à superfície.

Publicado originalmente em: G1.com

amor, histórias, notícias, saúde

Cães fazem a alegria da Pediatria do Hospital das Clínicas da UFMG

Projeto de terapia assistida explora laços entre humanos e animais

Três cachorros, acompanhados de suas tutoras, fizeram a alegria do setor de Pediatria do Hospital das Clínicas da UFMG, na manhã deste sábado, dia 6. Crianças, mães e profissionais do Hospital vivenciaram momentos de descontração durante a visita da equipe do projeto Amigos pra cachorro.

A ação foi idealizada em sala de aula, durante uma disciplina ministrada pela professora Maria Izabel de Azevedo, do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, da Escola de Veterinária. Ela e três alunas desenvolveram o projeto, que se baseia na Terapia Assistida por Animais.

Para a superintendente do Hospital das Clínicas, professora Andréa Maria Silveira, o laço entre seres humanos e animais traz muitos benefícios: “Sabemos, pela literatura internacional, que a interação dos humanos com os animais, que é muito antiga, traz efeitos muito benéficos para pessoas doentes, principalmente para crianças”, analisa. Entre os pontos positivos, a professora destaca que brincar com animal ajuda a tirar o foco da dor e da doença, além de diminuir a ansiedade, a melancolia e estimular o bom humor.

Segundo a professora Maria Izabel, os cães são ideais para esse tipo de terapia. Para a visita, foram selecionados animais sadios e dóceis que passaram por avaliação clínica e higienização. A TV UFMG acompanhou a atividade e mostra como foi a reação das crianças. Assista:

 

Equipe: Olívia Resende (produção e reportagem), Ravik Gomes (captação e edição de imagens).
Publicado originalmente: UFMG
divertidos, histórias

Fotógrafo capta o momento exato em que cães tentam pegar biscoito no ar. E suas reações são simplesmente impagáveis

O fotógrafo alemão Christian Vieler é conhecido pelo seu trabalho com cães. Desde 2012, quando comprou uma nova câmera para trabalhar por sua conta, Vieler, que também é jornalista, criou um projeto no qual resolveu captar a expressão facial dos nossos amigos caninos.

A ideia do alemão é registrar o momento exato em que um cão recebe um biscoito jogado no ar. E as caras e bocas capturadas nas fotos são impagáveis.

“Sempre que eu tiro uma foto eu procuro o momento certo, quando o cão está se portando da maneira mais bonita ou engraçada possível”, diz o fotógrafo. “Eu tiro uma foto instantânea da cada ‘cãovidado’ que vai ao meu estúdio. Algumas fotos ficam realmente boas”, completa.

Vieler é capaz de capturar expressões magníficas. Pânico, desejo, alegria… o que um biscoitinho jogado no ar é capaz de fazer com um cão, você confere nas fotos abaixo.

Imagens: Christian Vieler

Fonte: Bestofweb

curiosidades, histórias, notícias

ESCOLA INFANTIL NA ALEMANHA TEM ARQUITETURA LÚDICA EM FORMA DE GATO GIGANTE

A escola infantil Die Katze em Wolfartsweier, perto de Karlsruhe, na Alemanha, tem chamado atenção das crianças e adultos pelo mundo todo. Isso porque sua arquitetura lúdica foi construída em forma semelhante de um adorável gato branco gigante.

Projetado pelo incrível artista francês Tomi Ungerer e pela arquiteta Ayla-Suzan Yöndel, o local, devido a criatividade e capricho, foi pensado justamente para que as crianças tenham prazer de ir à escola. Todos os dias, os alunos são estimulados a entrar pela boca do simpático gato. A barriga traz um vestiário, salas de aula, uma cozinha, refeitório e a escada principal.
As pernas são espaços dedicados a brincadeira. A turnê anatômica continua no andar de cima. A cabeça do gato é uma sala principal, por onde a luz natural entra através dos olhos e ouvidos. Tomi conta que escolheu o tema “gato” por ser seu animal favorito: “São animais inteligentes e conscientes de seu ser, perfeito para inspirar as crianças”.


O espaço construído para abrigar 100 alunos pode parecer estranho aos olhos de algumas pessoas, mas o tema usado em sua construção tem ampliado os conhecimentos dos pequenos. O edifício, que tomou forma para imitar um gatinho agachado com as orelhas de pé traz até um escorregador na parte de trás – no formato de seu rabo. Tudo é implementado para que eles aprendam enquanto se divertem.

Publicado originalmente em: FollowTheColours

amor, histórias, notícias

Cão com câncer vende roupinhas para pagar sua quimioterapia

Norberto é um cachorrinho que morava nas ruas da Argentina. Seu destino mudou completamente no dia em que ele encontrou a dona de uma clínica veterinária. Ela decidiu ajudá-lo de uma forma que comoveu milhares de internautas.

Norberto chegou à clínica veterinária “Lola Polola” com uma infecção no pescoço. Noelia Tacacho, dona do lugar, e sua equipe o curaram e castraram. Após a intervenção, eles descobriram que ele tinha um tumor venéreo transmissível que só pode ser curado em sessões de quimioterapia caras. Noelia explicou que a quimioterapia custava US $ 300. Era necessário encontrar uma maneira de pagar pelo tratamento. Foi então que Norberto ficou conhecido através das redes sociais.

Ela publicou uma foto no Facebook da clínica. Nele o cachorro aparece com uma placa que diz “Eu vendo roupinhas para pagar minha quimioterapia”. A imagem teve um sucesso inesperado. Foi compartilhado por mais de 1.600 pessoas em apenas dois dias.

Enquanto a ação de Noelia moveu muitos internautas, muitos outros consideraram uma mera forma de promoção da clínica veterinária. A proprietária se defendeu dizendo que só queria que as pessoas comprassem os produtos da loja para financiar o tratamento de Norberto e poder salvá-lo.

Publicado originalmente em: Histórias com valor

adoção, amor, histórias, Sem categoria

Conheça a história da Tina, Maria Cristina de Alcântara Machado

E mais uma vez temos uma linda história, que na verdade podemos chamar de linda homenagem que nossa seguidora Regina Alvim nos enviou.

Imagem: Regina Alves

A história que vamos contar é da Tina, seu nome carinhoso, porque seu verdadeiro nome é Maria Cristina de Alcântara Machado, sim um nome de Lady.

A Tina foi encontrada, em um sábado de 2001. Uma vizinha estava espiando alguma coisa no meio do mato, e mesmo atrasada a Regina foi lá ajudar e ver o que estava acontecendo. Elas se depararam como uma cena triste, Tina estava dentro do bueiro muito ferida, pois tinha sido atropelada e deixada para morrer.

Regina levou a cachorrinha imediatamente para sua casa, mesmo com o seu marido não querendo que ela se responsabilizasse pelo caso. Mas ela não pensou duas vezes!!

A cachorrinha tinha diversos ferimentos na pele, cheia de carrapatos e um ferimento que praticamente podia-se ver o coração dela batendo.

Regina conversou com Tina e pediu que reagisse que ela ia fazer todo possível para não desistir de viver e ficar curada. Nesse mesmo dia, Tina começou a se alimentar, e foi reagindo bem aos medicamentos e cuidados.

Tina se recuperou totalmente! Ela viveu sendo a sombra de Regina, e o grande amor de sua vida. Foi muito feliz!

Em 2015, Tina adoeceu! Começou a apresentar problemas na pata que tinha sido atropelada, e foi diagnosticado câncer nos pulmões, metástase de um câncer nos ossos.

Regina ficou devastada, achando que ia morrer, mas se dedicou dia e noite para poder ajudar Tina a não sofrer tanto e conseguir ter qualidade de vida.

Tina sofreu muito nesses últimos dias de sua vida, mas do seu lado teve muito amor e apoio, pode descansar em paz.

Regina agradece muito por ter compartilhado sua vida com Tina, que foi quem a resgatou todos os dias de uma depressão e trouxe muita alegria para sua vida!

Imagem: Regina Alvim

Cada dia que passa, nós que gostamos de bichos, nos deparamos com essas histórias lindas e podemos ter mais certeza que essa ligação e amor com animais é maravilhosa!

E se você também tem alguma história do seu pet que queria compartilhar, mande para o Debate Animal!

Imagem: Regina Alvim
amor, histórias, notícias

Homem entrou em coma e seu cachorro o acompanhou até ele acordar. Ele não queria sair do seu lado

“Onde está o anjo que constantemente sussurrou que tudo ficaria bem?”, Disse Francis Romero quando acordou.

Além de ser grandes seres, os filhotes são ótimos companheiros. Sua lealdade e amor são à prova de tudo, se você escolher um para ter ao seu lado, então tenha certeza de que você nunca será desapontado, nem ele vai te abandonar.

Isso foi o que comprovou Francis Romero, um homem de 70 anos que de repente entrou em coma, forçado a ficar em um hospital. Era uma situação extremamente difícil, especialmente para ele, um homem de idade avançada. As coisas poderiam se complicar mais facilmente.

Felizmente, no hospital onde ficou, ele foi autorizado a ter seu amado e fiel cão ficar com ele e acompanhá-lo durante os dias difíceis que o aguardavam.

Havia a possibilidade de que Francis nunca mais acordasse. Ou talvez devesse levar muito tempo para ele fazer isso. O futuro era totalmente incerto.

No entanto, o filhote de cachorro doce decidiu honrar o título que foi ganho entre os humanos, o melhor amigo do homem e não deixou seu dono por um segundo enquanto ele estava no hospital. Ele o acompanhava dia e noite.

Até que um dia, depois de um mês em coma, Francis acordou. E suas primeiras palavras derreteram aqueles que o acompanhavam: “Onde está o anjo que constantemente sussurrava que tudo ficaria bem?” Ele disse.

Por Constanza Suarez

Publicado originalmente em Revista saber viver mais

adoção, amor, histórias, Sem categoria, superação

Conheça a história da Pê

Fico feliz quando me deparo com histórias de amor com os animais, e mais feliz ainda em poder dividir com vocês.

A história de hoje é da Pê, uma cachorrinha linda e charmosa, que sofreu muito com o abandono e maus-tratos, mas felizmente encontrou uma dona maravilhosa que a acolheu e mudou sua vida!

20190207_092416.jpg

Imagem: Instagram @pe_pezinha

Eu pedi que sua dona, Tássia Búrigo, contasse a história da Pê para fazer a matéria, e ela fez um relato tão fofo, como se fosse a Pê escrevendo, que eu não quis mudar nadinha o texto para dividir com vocês!

“Eu era moradora de rua e seguia a minha vida normalmente. Até que um dia, em março de 2014, uns tios malvados colocaram um cano de PVC no meu pescoço, parecia um colar largo de PVC. Este cano era muito justo, machucando a parte de trás das minhas orelhinhas e o meu pescoço. E aí, eu comecei a definhar, porque eu não conseguia me alimentar, nem beber água com aquela coisa no pescoço. Mas não foi só isso, esses mesmos tios também me deram uma lambada na carinha, fazendo com que meu olho direito pulasse fora. Meus ossinhos do rostinho ficaram bem alterados, tipo amassados mesmo, sabem, tios?

Os moradores do bairro por onde eu andava falaram para os tios da ONG SOS Vira-Lata, uma ONG da minha cidadezinha, que tinha uma cadela andando com um cano de PVC no pescoço. As tias da ONG, então, começaram a me procurar. Mas foi difícil elas me encontrarem, porque eu não ficava sempre no mesmo lugar. Eu estava desesperada, procurando segurança e algum tio que pudesse me tirar aquilo do pescoço.

Levaram umas 3 semanas até que as tias me encontraram. Eu já estava desistindo da vida. Estava um saquinho de osso, já sem pelos, e sendo comida viva por bicheiras que se formaram em meu olhinho e em meus ferimentos ocasionados pelo cano. Quando a tia Carol me encontrou, eu estava num armário velho de cozinha, paradinha, olhando pro nada. A tia Carol tentou se aproximar, me ofereceu petisco, e eu: nada. Eu já havia realmente desistido de imaginar que alguém viria me salvar. Até que a tia viu que o jeito era me pegar no colo e me colocar no carro. Foi o que ela fez.

Deixei o maior futum no carro da tia Carol hihihi e fomos para a clínica veterinária, onde serraram meu cano, numa segunda tentativa com um outro serrote, e onde permaneci por uns 15 dias.

A maninha estava procurando um cãozinho especial para adotar, já que o trabalho dela então permitia ela ter um cachorro – antes ela ficava fora o dia todo e assim ela tinha consciência de que não daria para ter um cãozinho no apartamento. Ela queria um cão especial, pois via que, nas feirinhas de adoção, estes cães iam restando – tem muitos tios que preferem cãezinhos “perfeitos”.

Quando a maninha me viu passando na Fanpage da ONG, ela pensou “meu tio Jesus, não vou encontrar nenhum outro cão que precise mais da minha atenção do que essa!”. E assim, maninha começou a me visitar na clínica.

Todos os dias, maninha ia lá e me fazia carinho, que era pra ver se eu já estava me acostumando com ela. É que a maninha pensava que, em vista do que passei, eu certamente seria raivosa, ou antissocial, ou ia morder tudo, ou fazer xixi por tudo hihihi. Mas não.

Na primeira semana, maninha me fazia carinho e era como se ela fizesse carinho numa pedra. Eu estava estática, desacreditada, inanimada. Nos dias seguintes, comecei a ir tendo reações, até que chegou o dia de ir pra casa. Foi aí que veio a surpresa.

Quando os tios veterinários me colocaram no chão para eu ir até a maninha, eu fui faceira, balançando a rabiola! Maninha quase chorou e se arrepende até hoje de não ter filmado esta cena.

De lá pra cá, foi só alegria. No começo eu morria de medo de colo – e até hoje não curto muito – mas fomos nos conhecendo e nos adaptando uma à outra. Maninha sempre chora quando fala sobre nossa historinha, porque ela diz que fui eu quem adotei ela. Somos muito parceiras, já fui à praia, a restaurantes, em diversas praças, e outras cidades com ela. Uma vez fomos até a Gramado, num chalé que aceitava cachorro.

Maninha fala que nossa ligação é de outras vidas. Ela não imagina a vidinha dela sem mim (e vice-versa). Eu já sei quando ela vai sair, quando ela vai chegar, já conheço as palavras: petisco, nanar, passeio, já volto, não, vem, pula, tiozinho e outras. Sou tão gulosa que, na fase pós-internação, fui rapidamente dos 7 Kg até os atuais 12 Kg – mas num momento extrapolei e fiquei bem gordinha hihihi. Passei por fases feias, desde a cicatrização de todas as feridas até o nascimento dos pelos. Porém, maninha sempre me enxergou por dentro e sempre via a minha alminha linda e iluminada.

Hoje, eu sonho que nenhum cachorro desista, e acredite que, para cada tio maldoso, sempre haverá mais tios anjos. Maninha é meu anjo, minha luz.”

Dia do resgate da Pê Imagem: Instagram @pe_pezinha

Imagem: Instagram @pe_pezinha

“Maninha” é a salvadora da Pê (Tássia Búrigo), que com todo amor do mundo acolheu a Pê, mesmo com todas as dificuldades, ela cuidou, amou e fez a vida da cachorrinha mudar e poder ser muito feliz agora!

Para quem ama os animais, é muito difícil acreditar e aceitar que existam pessoas que façam mal as essas criaturinhas maravilhosas, mas também enche nosso coração de esperança quando nos deparamos com histórias como essa, aonde o amor e a dedicação prevalece!

E quem quiser acompanhar a vida da Pê, o Instagram dela é: @pe_pezinha. Sigam ela lá!

E o Facebook

Imagem: Instagram @pe_pezinha

Espero que a Pê continue linda e feliz na companhia da “Maninha” e que apareçam muitas outras histórias como essa para contarmos aqui no Debate Animal! E você tem alguma história de amor com um bichinho? Mande e conte para a gente!!!!!

adoção, amor, curiosidades, histórias, notícias

Muro de escola ganha grafite para incentivar a adoção de animais, em Coqueiros, Florianópolis

O muro da Escola Almirante Carvalhas, em Coqueiros, está mais colorido de umas semanas pra cá. Um grafite lindão feito por um dos nossos melhores artistas dá um incentivo para pessoas que estão na dúvida entre adotar um amiguinho de quatro patas ou comprar. A arte do grafiteiro Rodrigo Rizzo é uma extensão da campanha da Diretoria do Bem-Estar Animal da Capital, que tem em seus canis cerca de 100 cães e 60 gatos, vítimas de abandono e aguardando ansiosamente para ter uma família. Os interessados podem entrar em contato com a Dibea pelo telefone (48) 3234-5677.

A ideia da arte é incentivar a adoção e conscientizar as pessoas de que um animalzinho passa a ser responsabilidade delas até que a morte os separe, e não até eles ficarem idosos ou doentes.

Quer saber? Eu apoio!

Por Edsoul – olharanimal.org

Fonte: NSC Total

adoção, amor, histórias, notícias

Maratonista resgata filhote durante prova e corre 30km com animal no colo

A atleta tailandesa, Khemjira Klongsanun resgatou um filhote da beira da estrada durante uma maratona na cidade de Ratchaburi, na Tailândia. A prova de 41 quilômetros não estava nem na metade quando ela viu outros participantes em torno do cachorro.

Ela, então, o pegou e correu os 30 quilômetros restantes com ele no colo.

“Eu percebi que ele estava perdido. Não tinha casas, outros cachorros ou nenhuma pessoa por perto. Ele estava confuso no meio daquele ambiente”, disse Khemjira ao site Daily Mail.

Depois da maratona, a tailandesa decidiu adotar o cãozinho, que foi batizado de Chombueng.

Fonte: Vírgula